Mulheres cervejeiras

A presença do público feminino tem feito muito bem para a cerveja como um todo. A cada dia mais mulheres chegam para agregar no mercado em constante expansão, inovação e produzindo cerveja de qualidade.

Ainda nos deparamos com a velha e arcaica barreira do preconceito contra a mulher no meio cervejeiro, mas em um mercado dominado por homens, elas, mostram a todos que lugar de mulher é onde ela quiser e que o objetivo é fazer bem feito, a bebida alcoólica mais popular do mundo.

Desde as primeiras produções de cerveja, eram elas que preparavam a bebida e muito do conhecimento da cerveja passou pelas mãos de mulheres.  Por exemplo, a introdução do lúpulo na cerveja por Hildegarda de Bingen, freira alemã especialista em ervas, e foi então que se descobriu  que adicionando a planta que tinha propriedades conservantes na cerveja, ela  ganhava maior durabilidade e mais segurança para o consumo. Ao final do século 18, com o crescimento da indústria cervejeira, a presença masculina domina a produção e o presença feminina diminui.

Hoje, como forma de unir e desmistificar essa barreira, grupos de mulheres cervejeiras unem-se para gerar conhecimento e produzir cerveja de qualidade. Elas dominam as mais diversas áreas dentro das cervejarias, que geralmente predomina a presença masculina.

Um bom exemplo é o coletivo “ELA”, grupo formando por mulheres ligadas ao ramo para combater o machismo. Cansadas das piadas de mau gosto e de ouvir que cerveja é coisa de homem, decidiram criar uma cerveja e levantar a bandeira da discussão e da educação. A bebida foi escolhida foi uma American Barley Wine, um cerveja com poder de amargor, complexidade e alto nível alcoólico, desmistificando que mulher somente gosta de cerveja fraca e levinha. A renda obtida com a venda dessa primeira cerveja foi revertida totalmente a grupos de apoio a mulheres que sofrem agressões.

Podemos citar diversas mulheres de sucesso no atual cenário brasileiro que levantam a bandeira da mulher na cerveja e garantem igualdade de gênero dentro de um meio ainda dominado pelos homens.

Um brinde a diversidade!