Vestir o veículo

Antes de sair com o carro, certifique-se que você está com a posição e a postura corretas. Existe um passo a passo para você fazer o ajuste perfeito:

  • Ajuste primeiro o assento com relação à frente e atrás, usando como referência o pé direito ao acionar o freio. Você deve garantir que o joelho fique semi-flexionado.

  • Em seguida, ajuste o encosto do banco e, para isso, a sua referência será colocar o punho na parte superior do aro no volante de forma que seu cotovelo fique semi-flexionado. Atenção: caso seu veículo possua regulagem de altura e profundidade você deve utilizar para um melhor ajuste.

  • Chegou a hora de regular a altura do banco, caso seu carro tenha esse recurso. Quanto mais alto o motorista se posicionar, melhor, desde que não raspe a cabeça no teto. Dessa forma, a visão periférica aumenta e com isso diminui os pontos cegos. Atenção: observe se esse ajuste não alterou os anteriores, e se necessário, faça um ajuste fino no assento e distância dos braços ao volante.

  • Ajuste o encosto de cabeça garantindo que a parte posterior da cabeça se acomoda bem no centro do encosto. Atenção: isso é para todos ocupantes do veículo, ou seja, motorista e passageiros.

  • Regule os espelhos retrovisores. O interno deve garantir a visão ampla da traseira sem que você precise movimentar o corpo para enxergar. Os externos devem ficar bem próximos de 90 graus, quanto menos o motorista enxerga da lateral do carro maior será a visibilidade da via e com isso diminuindo o ponto cego.

  • Posição das mãos no volante. As duas mãos devem ficar paralelas e segurando no encaixe anatômico no volante. Imagine que o volante é um relógio com o ponteiro menor na posição 9 e o ponteiro maior na posição 3. Essa é a posição ideal: 09h15.

  • Ajuste a posição do cinto de segurança na ancoragem da coluna “B”, caso seu veículo possua essa regulagem. Coloque o cinto de segurança e garanta que o cinto toque em seu ombro na região da clavícula. Atenção: Você deve evitar que o fita do cinto passe encostando no pescoço do motorista e passageiros.


Chassi reforçado, novo motor, transmissão de sete velocidades e equipamentos de tecnologia de ponta e conectividade

A 12ª geração do utilitário chegou com design moderno e muitas novidades em termos de tecnologia, conforto e segurança – seguindo o conceito de “Mobilidade Inteligente” da Nissan –, que o deixa ainda mais seguro, robusto e inteligente. É, sem dúvida, a melhor picape já produzida pela Nissan em seus mais de 80 anos de tradição nesse segmento.

A pick-up traz o sistema multimídia mais completo do mercado, o Nissan Multi-App, que conta com 2 Gb de espaço para baixar os aplicativos de preferência, além de muito mais segurança com os controles de tração e estabilidade (VDC – Vehicle Dinamic Control), freios ABS com controle eletrônico de frenagem (EBD) e assistência de frenagem (BA) e a introdução dos controles automático de descida (HDC) e auxílio de partida em rampa (HSA), luz de freio de LED (CHMSL) e luzes diurnas (DRL).

O interior de estilo moderno e marcante foi concebido com dimensões, segurança e conforto adequados para condutor e passageiros, ampliando o espaço do painel, console central e assentos para oferecer funcionalidade avançada e muito mais tranquilidade na condução. Em relação à geração anterior, a altura do interior da cabine aumentou (874 milímetros), especialmente na segunda fila de bancos, e o espaço entre a cabeça e o teto cresceu, assim como a largura para os ombros. Já o bom espaço para as pernas na parte de trás permite que os passageiros possam desfrutar confortavelmente de cada viagem. Tudo isso garante ainda mais conforto em qualquer situação.

Para deixar ainda mais valente, a marca japonesa equipou o modelo com o moderno motor diesel 2.3 biturbo, que desenvolve 190 cavalos de potência e entrega 45,9 kgfm de torque. Nele, a injeção direta conta com 2.000 bar de pressão. E o novo motor é ainda 10 quilos mais leve e mais silencioso que a sua geração anterior. É a garantia para uma performance que equilibra força, conforto e consumo eficiente.

Os turbos trabalham em regimes de rotação do motor diferentes para permitir progressividade a aceleração. Assim, o de maior pressão atua junto com o de menor no arranque e trabalha até a rotação estabilizar desligando-se e deixando o de menor pressão sustentando o motor em velocidade de cruzeiro.

A pressão do óleo do novo motor é otimizada por conta do controle elétrico, reduzindo possíveis perdas causadas por fricção e tornando muito eficiente o consumo. No fora de estrada, o torque e potência máximas chegam em baixas rotações para entregar a força quando necessário. Como característica conhecida da Nissan, o novo motor traz corrente ao invés de correia.

Fonte: Nissan