Exemplo de Mulher

Silvia Brandalise

Este ano, a médica Silvia Brandalise completa 51 anos de carreira e 75 anos de idade. Quarenta anos dedicados ao Boldrini, que é o maior hospital especializado no cuidado a crianças e adolescentes com câncer e doenças do sangue da América Latina, que assiste cerca de 10 mil crianças e adolescentes de diversas cidades brasileiras e alguns vindos de outros países da América Latina, em sua maioria (69%) pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Revista Prado conversou com essa mulher exemplar, que no mês dedicado ao universo feminino, representa todas as guerreiras que lutam pela igualdade de direitos.

Revista Prado – Para a senhora, que é mulher, esposa, empresária e mãe, como encara o papel feminino na sociedade hoje?

Silvia Brandalise – Os direitos da mulher evoluíram e, atualmente, o papel da mulher nas mais diversas atividades profissionais, é mais facilmente aceito pela sociedade. São menores as cobranças do seu envolvimento restrito ao domicílio.

RP – A senhora acha que para as mulheres ainda é mais difícil subir na carreira do que para os homens? Porque?

Silvia – Não acho que a ascensão na carreira profissional seja mais difícil ou mais fácil para a mulher. Os parâmetros técnicos e de conhecimento, em geral, já são bem estabelecidos nas diferentes profissões e cargos diretivos.

RP – Na sua opinião quais os principais motivos para a entrada das mulheres no mercado de trabalho e o que poderia ser feito para mudar esse quadro de desigualdade de oportunidades e salários?

Silvia – Na busca de realização pessoal e profissional, há cerca de meio século, as mulheres entraram no mercado de trabalho, competindo em igualdade com os homens. Não vejo maior dificuldade da mulher na inserção do mercado de trabalho. Na área da Saúde, não se verifica diferenças de salários conforme o gênero.

RP – A senhora acredita que políticas de incentivo podem facilitar a ascensão das mulheres na economia e no mercado de trabalho? De que forma?

Silvia – Acredito que a mulher não precisa de incentivos para a sua progressão no mercado de trabalho. Conquistando aptidões e conhecimentos, esta ascensão se faz de modo irrestrito quer na área da economia como em outros setores.

RP – Acredita que o Brasil alcançará a igualdade de gêneros no mercado de trabalho? O que será preciso para isso acontecer?

Silvia – Dentro do universo acadêmico da Unicamp e na área da Saúde, que são as áreas de minha maior familiaridade, o Brasil já alcançou a igualdade dos gêneros.