Afetividade na prevenção ao bullying

comportamento de bullying definido como sendo um conjunto de comportamentos agressivos, intencionais e repetitivos, verbais ou físicos, adotados por um ou mais alunos contra um outro, executado dentro de uma relação desigual de poder ou força física é considerado um problema de saúde pública. Estatísticas apontam para um grave aumento da incidência dessa prática nas escolas públicas e privadas com sérias consequências de transtornos mentais como os de ansiedade, os depressivos, déficit de atenção, hiperatividade entre outros.

Um dos principais motivos de bullying, apontados por pesquisas sobre o tema é a aparência física. Isso torna evidente que a diversidade não é vista com naturalidade e como a principal característica de todos os seres humanos. As relações interpessoais estão permeadas de competitividade gerando a prática de buscar a diferença enquanto uma desigualdade.

A escola, principal palco dessas ações, vem reconhecendo a necessidade de trabalhar uma cultura de paz que possa ensinar aos alunos a prática da afetividade nos relacionamentos. Essa prática no contexto educacional tem se mostrado eficaz não somente para combater eventuais transtornos mentais gerados pela violência nas relações, mas principalmente enquanto facilitadora da aprendizagem.

Duas escolas da rede pública estadual situadas ne região Noroeste de Campinas vem sendo alvo de trabalho realizado pela faculdade de Psicologia da PUC Campinas, com os professores no que se refere ao desenvolvimento de processos afetivos presentes nos cotidianos escolares, por considerar a afetividade uma excelente forma de inverter a seta dos crescentes índices de violência nas relações do ambiente escolar. Os resultados desse trabalho evidenciam que o papel de educadores é de extrema importância na luta contra o bullyng e outros desafetos no cotidiano escolar.

Rita Khater é formada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, doutora em Psicologia Ciência e Profissão, mestre em Psicologia Escolar-Educacional, especializada em Psicologia Clínica e docente da Puc-Campinas