Enófilo, Enólogo, Sommelier

Dia 22 de outubro, comemoramos o dia do enólogo e há ainda muita confusão entre os termos: enólogo, enófilo e sommelier, então vamos começar entendendo um pouco mais sobre esses três personagens.

  • O enófilo é o estudioso, amante do vinho. É aquele seu amigo que tem outra profissão, mas que é apaixonado por vinhos, tem adega em casa e todos os apetrechos para servir o vinho quando você vai jantar na casa dele. Provavelmente, tem livros sobre o assunto, adora falar sobre a bebida, frequenta degustações e muitas vezes já visitou vinícolas ou participa de confrarias.

  • O sommelier é um profissional especializado no vinho, que no restaurante auxilia na escolha de um rótulo para acompanhar determinado prato, e pode, entre outras coisas, trabalhar em lojas especializadas em vinho ou importadoras. Esse profissional cuida da compra e armazenamento dos vinhos nas adegas e elabora as cartas de vinho dos restaurantes.

  • Enólogo é o profissional responsável pela elaboração dos vinhos e trabalha nas vinícolas, acompanhando a análise do solo, o desenvolvimento da videira, sua colheita, a fermentação do vinho, seu amadurecimento e seu envasamento. Ele está ali, cuidando do processo de vinificação (transformar a uva em vinho), em cada uma das suas etapas, tomando as decisões necessárias, sendo o responsável pelo produto final. Seu trabalho requer muito conhecimento técnico, e é também impactado pelas artimanhas da Mãe Natureza, pois cada safra é uma aventura diferente, dependendo das características climáticas de cada ano e sua influência nas vinhas.

    Além disso, há o mercado de vinhos e o resultado final do trabalho do enólogo passa também pelo crivo dos interesses comerciais das importadoras, a avaliação dos profissionais do mercado, e finalmente do paladar do consumidor.

Mas dentre tantos fatores, gosto de pensar que o enólogo é um preparador de poções mágicas. Não porque ele fique em torno das barricas, sussurrando palavras incompreensíveis enquanto consagra o vinho aos deuses, nada disso! Essa profissão pode misturar arte, ciência e paixão, além do trabalho árduo, resultando no líquido que os enófilos chamam de elixir, o nosso querido vinho.

Nas lendas, as poções são preparadas para ajudar ou enfeitiçar pessoas. São conhecidas várias versões de “poção do amor” da ficção ou da mitologia, pela qual uma pessoa sob seus efeitos se apaixonaria por outra, como nos contos de Tristão e Isolda. A literatura tem outras diversas histórias sobre poções, em que a bebida tem propriedades mágicas ou de cura.

O vinho tem sim, muito de mágico, pois quem o bebe se alegra, se sacia, se apaixona.

Certa vez, Voltaire disse: “Este vinho revigora cada fibra do meu cérebro e, no fundo de minha alma, produz um brilho encantador de inteligência e bom humor”.

Um brinde aos enólogos, que elaboram essa mágica bebida que chega às nossas taças! Saúde!