A aposta que deu certo da indústria automobilística

Campeões de vendas, os SUV´s médios se tornaram o desejo de consumo

Nos últimos tempos acompanhamos a indústria automobilística investir definitivamente em um segmento que, até uns 10 anos atrás, era só uma aposta. Em uma tradução simples, a sigla SUV significa: Veículo Utilitário Esportivo e algumas montadoras, como o  Hyundai, defini o seu modelo CRETA como Crossover, que é um termo usado para definir os automóveis fabricados que utilizam a base de um carro de passeio com adaptações para adquirir características de um SUV.

Escolhi três modelos que há meses concorrem freneticamente para a liderança de vendas no Brasil e desta forma minha intenção é te ajudar a escolher o modelo que mais atende suas necessidades. São veículos que parecem iguais, mas são muito diferentes entre eles.

Honda HRV Motor 1.8 i-VTEC Flex de 140 CV, Jeep Renegate Motor 1.7 Flex Multi ponto de 139 CV e Hyundai Creta Motor 1.6 Flex Multi ponto de 130 CV, concorrem pelo gosto dos consumidores e são três veículos bem diferentes. Há um extremo quando comparamos o HRV com o Ranegate, tudo porque o valente da Honda atende mais o consumidor que não quer perder as características de um sedan, ou seja, um veículo mais alto com uma carroceria mais anabolizada, mas durante a condução é um carro mais asfalto e urbano. Já o Renegate quer atender aspirações aventureiras e que desconstroem aquela visão monótona. É ousado nas linhas e formas te convidando para uma viagem mais bruta e pé na estrada de chão.

O Hyundai Creta se posiciona exatamente no meio dos dois extremos entre On HRV e Off Renagate. O modelo tem um visual que tenta despertar a atenção do consumidor que busca ser mais moderado entre uma coisa ou outra. Os três modelos são versáteis, aliás isso é o grande trunfo do segmento.

A seguir, vou oferecer para você dados que podem ser decisórios na escolha. Trata-se do consumo de combustível e capacidade de porta malas.

O consumo da HRV com etanol é 7,1 na cidade e 8,5 km/l na estrada. Com gasolina o consumo é de 10,5 na cidade e 12,1 km/l na estrada. A capacidade do porta malas é de 431 litros.

O Ranegate consome 7,3 na cidade e 7,6 km/l na estrada com etanol. Já com gasolina, o consumo é de 10,5 na cidade e 11,2 km/l na estrada. A capacidade do porta malas é de 260 litros.

O Creta consome com etanol, cerca de 7,6 na cidade e 8,2 km/l na estrada. Com gasolina o consumo é de 10,4 na cidade e 11,7 km/l na estrada. A capacidade do porta malas é de 431 litros.

Meu amigo leitor, apesar dos números, não deixe de fazer um test drive em cada um deles e claro coloque na sua lista outros SUV´s que não apareceram aqui, pois o fato de os três avaliados nesta edição serem os mais vendidos, não significa que é o veículo que mais se encaixa na sua rotina, gosto e bolso.

A maioria dos motoristas se chateiam muito com os apressadinhos que ficam piscando o farol alto pedindo passagem e colando na traseira, praticamente empurrando o carro da frente.

Os que exageram no farol e colam, realmente não tem muita paciência de negociar essa ultrapassagem e muitos acidentes acontecem devido ao atrito entre motoristas em rodovias. No entanto, é impressionante a falta de capacidade das pessoas em evitar conflitos bobos, pois basta um pouco de bom senso e respeitar o que diz o Código Brasileiro de Trânsito (CBT).

Eu acho que um pouco de educação na hora de pedir passagem ajuda muito, mas muitos motoristas que seguem na faixa de rolamento da esquerda acreditam que uma vez ali e na velocidade da via estão religiosamente respeitando as regras e que o apressadinho é o errado.

O que ocorre é que muitos desconhecem o Artigo 30 do CBT que deixa claro “A FAIXA DA ESQUERDA É PARA ULTRAPASSAGEM” e impedir quem quer promover ultrapassagem na faixa da esquerda é uma infração. Não importa se ele irá infringir a velocidade máxima permitida, o problema é dele, você deve fazer sua parte e ter a inteligência de não cair nessa provocação desnecessária, deixe o outro passar e siga viagem, aliás evite a faixa da esquerda em rodovias, se não quiser passar por isso constantemente.

Perceba que é uma questão de inteligência emocional e desta forma escolher não participar de conflitos, afinal não vale a pena ficar estressado. Fica a dica! Nos vemos na próxima edição.