Especial Educação

O fim de 2017 já se aproxima e está na hora de começar a pensar na escola que seu filho irá estudar no ano que vem. Lembre-se que é necessário conhecer a estrutura física e a proposta pedagógica do colégio pretendido e conversar com professores, coordenadores e outros pais que já têm filhos matriculados na instituição. De modo geral, a escola ideal é aquela que proporciona condições necessárias para o desenvolvimento integral do aluno.

Infraestrutura – Colégio Crescer

O espaço escolar é um ambiente que contribui para a formação de personalidade e está intimimamente ligado a aprendizagem. A escola deve ter uma estrutura física atrativa para os alunos, onde eles possam sentir-se à vontade para desenvolver as atividades socioeducativas e o pensamento crítico. A infraestrutura é um forte potencial para o desenvolvimento de atividades cognitivas e motoras, tornando-se, assim, cenário de múltiplos interesses.

O Colégio Crescer apresenta uma das melhores infraestruturas da rede particular de ensino em Campinas. São mais de 5.500 m² de área construída, mais de 40 salas de aula multimídia e climatizadas, além de laboratório para as aulas práticas de química, física, biologia e informática. Todas as salas estão conectadas à internet de banda larga, para que os professores tenham rápido acesso às informações complementares, enriquecendo as aulas. “A escola também possui mais de 90 câmeras de monitoramento para garantir a segurança de seus os alunos, ar condicionado em todas as salas do Ensino Fundamental e Médio, carteiras anatômicas, lousas panorâmicas, sala de estudo e salas de aula com multimídia, projetor, telão e som”, conta Marcos Fantin, diretor do Colégio.

Marcos acredita que o espaço escolar é um fator importante relacionado com a aprendizagem e por isso precisa oferecer um espaço adequado e moderno aos alunos. “Entendemos que a escola precisa oferecer uma infraesturura adequada para que o ensino seja de qualidade. Nossa infraestrutura ainda engloba salas temáticas de matemática, artes, música e reflexão cristã”, completa.

O processo educativo acontece pela interação do estudante com o meio e é com desafios que despertem a curiosidade que se chega a aprendizagem. “Nossos laboratórios de informática contam com um computador por aluno, o laboratório de ciências possui toda estrutura necessária, biblioteca com mais de 5.000 títulos, quadras poliesportivas e parque coberto com amplo playground para a Educação Infantil”, enfatiza Marcos.

O Colégio Crescer também possui frota própria com vans para o transporte dos alunos, que atende quase todos os bairros de Campinas e Valinhos. “Para maior comodidade das famílias, o colégio disponibiliza vans que atende diversos bairros de Campinas e Valinhos”, explica o diretor do colégio.

“Para uma educação de qualidade é indispensável manter uma boa infraestrutura, quando se tem ambientes novos, modernos e bem equipados, professores, alunos e colaboradores se sentem mais motivados e os resultados aparecem, estamos sempre buscando melhorias. Nesse semestre devemos finalizar as obras de um novo prédio para abrigar o Ensino Médio e as salas temáticas, além disso, a escola está negociando a compra de uma área ao lado do colégio, onde será construído um teatro que irá atender os alunos e toda a comunidade”, finaliza Marcos.

Segurança – Petuti

Segurança envolve todos os aspectos da educação, desde o ambiente físico até os regulamentos e procedimentos que definem as operações da escola. É essencial ficar atento aos bons hábitos de segurança do estabelecimento, se possui alvará de funcionamento em dia e autorização da Secretaria de Educação para estar em funcionamento.

Para Luiz Grigoletto, diretor da Escola Infantil Petuti, é muito importante que os pais fiscalizem e tenham certeza que o filho ficará em segurança na escola infantil. “Há um número muito grande de escolas infantis em Campinas que são irregulares e isso coloca em risco a segurança das crianças”, enfatiza. Para o diretor os alvarás e licenças necessárias para a legalização, a qualificação exigida de cada profissional que atua na escola desde a limpeza, berçaristas, professores e administradores são essenciais. “A Petuti além de ser uma escola autorizada, tem como apoio pedagógico o grupo internacional da Pearson, por meio do material pedagógico do Sistema de Ensino Dom Bosco, oferecemos um ensino de qualidade e um ambiente acolhedor e seguro para nossos alunos”, explica Luiz.

A escola está sempre em busca de qualificar seus profissionais por meio de encontros, cursos e especializações. “Nossos colaboradores contam com a promoção de cursos, especializações e reciclagem periódica”, comenta o diretor.

Além disso, a equipe de direção também busca a excelência nos serviços prestados e está sempre buscando ampliar seus conhecimentos com apoio de empresas de renome, que são parceiras da escola. “No quesito segurança temos um convênio com sistema de pronto atendimento e ambulância da Medicar e um sistema de câmeras em todos os espaços abertos da escola”, elenca Luiz.

Formação Humana – Objetivo

Partindo do princípio que a educação infantil se estrutura no brincar e nas interações, o Colégio Objetivo Barão Geraldo assegura às crianças o direito de aprender e de se desenvolver. Na Educação Infantil, a escola trabalha o conviver, o brincar, o participar, o explorar o expressar e o conhecer- se, desenvolvendo o desejo de aprender de um modo saudável.

Michele Fonseca, coordenadora pedagógica, diz que a escola trabalha para que a criança se sinta autoconfiante e segura no ambiente escolar e em seus relacionamentos. “Oferecemos condições para que a criança viva a sua infância de maneira ativa e questionadora, estimulando a sua curiosidade. E é no contato com outras crianças que ela vai incorporando valores, conhecendo seus limites e aprendendo a respeitar sentimentos, ideias, atitudes e direitos alheios”, conta.

O colégio prepara os alunos para enfrentarem desafios, desenvolvendo o conhecimento, o emocional e o social, tendo em vista o respeito à individualidade de cada criança. “A plataforma on-line colaborativa estimula a criatividade, a leitura e a interação social por meio de desenhos e histórias criados por crianças e transformados em animações 2D. Trabalhamos práticas de incentivo à leitura, foco na formação humana, desenvolvendo e resgatando princípios e valores com conteúdos pensados para a faixa etária dos alunos e estudos do meio, que são atividades extraclasse que complementam o conteúdo estudado na sala de aula”, completa Michele.

Além disso, a escola conta com apoio pedagógico e atendimento, equipe capacitada de professors, apoio professional com fonoaudióloga e psicóloga. “O Objetivo Barão Geraldo conta também com espaço privilegiado amplo e arborizado, que permite o contato com a natureza, atividades lúdicas ao ar livre, parques, quadras e áreas comuns, espaço de horta, galinheiro, brinquedoteca e biblioteca”, descreve a coordenadora.

Idiomas – Visconde de Porto Seguro

Em cenário de expansão tecnológica e globalização, aprender uma língua estrangeira pode ser considerado um importante impulsionador para as relações, já que a oralidade é um dos fatores encorajadores à socialização. Os modernos estudos no campo da neurociência indicam o positivo impacto que uma segunda língua exerce sobre o sistema cognitivo e linguístico dos aprendizes, indicando significativas  vantagens relativas à reorganização neural durante a aprendizagem de duas línguas, desde os bilíngues mais precoces.

O Colégio Visconde de Porto Seguro, que mantém suas raízes germânicas, oferece a formação na língua alemã desde o Ensino Infantil até o Ensino Médio e busca atender as demandas do período mais sensível de aquisição da fala, que ocorre entre os zero e oito anos. “Embora aprendamos a estrutura de uma ou mais línguas durante toda nossa vida, é na primeira infância que ocorre uma notável explosão de sinapses e seu ápice se dá por volta dos três aos cinco anos de idade, quando a criança se desenvolve sensivelmente em todos os aspectos, incluindo a cognição“, explica Katherine Stravogiannis, coordenadora pedagógica.

A coordenadora explica que no currículo regular do Ensino Infantil, a partir dos três anos, é introduzida a lingua alemã, idioma de maior complexidade fonêmica. “Posteriormente, já com a base do alemão, os demais idiomas de maior acesso (inglês e espanhol, respectivamente) são progressivamente introduzidos, ao longo de toda escolaridade no Porto Seguro, tornando-se mais facilmente acessados“, comenta Katherine.

Já o currículo bilíngue do Colégio oferece uma imersão tanto linguística como cultural, ou seja, evidenciam-se marcas do contexto apresentado, minimizando a ocorrência da língua portuguesa por parte dos docentes, e é oferecido desde o Infantil 2, quando a linguagem oral formalmente se estrutura.  “Essa imersão tem a dimensão de um mergulho em um novo universo linguístico e a língua apresentada, no caso o alemão, passa a ser aquela utilizada no cotidiano e na sala. As regras e a estrutura da língua são incorporadas pela criança por meio da vivência e utilização do idioma, de forma lúdica“, elenca a coordenadora.

“Simplificando, o aprendizado significativo de uma língua estrangeira  pressupõe utilização em contexto real, funcionalidade, significância, motivação e afetividade. Acreditamos que, associados a um ambiente acolhedor e instigador em que a criança se sinta convidada a explorar, interagir e agir, podemos atingir maior visibilidade ao aprendizado e à infância, e é essa a nossa proposta“, conclui Katherine.

Bilinguismo – Notre Dame

Com a globalização, é muito importante aprender novas línguas. O inglês é considerado uma língua universal e dominar o idioma é essencial.  A partir de 2018, o Colégio Notre Dame dará um novo passo em sua trajetória em direção ao bilinguismo, com a criação do Currículo Bilíngue na Educação Infantil e no Ensino Fundamental I.

Segundo o diretor pedagógico, Lorenço Jungklaus, com a iniciativa, o Colégio completa um ciclo que teve início em 2010 com a criação do programa High School americano, no qual o aluno tem a oportunidade de estudar, no próprio colégio, disciplinas do ensino médio americano, com professores nativos.  “Desde então, quatro turmas já se formaram obtendo dupla certificação, a brasileira e a americana”, conta o diretor.

Em 2017, o Colégio criou o programa Middle School Global Leaders, para alunos do 7º e 8º anos, com estudo, em inglês, de temas integrados, abrangendo ciências da natureza e ciências humanas, indicados pela ONU para a formação do cidadão do século XXI. “O currículo bilíngue será oferecido aos alunos desde o Infantil I até o 5º ano do Ensino Fundamental, a partir de 2018. O programa vai unir o ensino de conteúdos curriculares exclusivos, em diversas áreas do conhecimento e a aprendizagem do idioma inglês. Enquanto no currículo regular o aluno vai aprender a estrutura do idioma enquanto língua estrangeira, no bilíngue ele vai praticar o idioma com o estudo de conteúdos, do mesmo modo que um estudante nativo” explica Lorenço.

O currículo bilíngue será extracurricular e complementar ao currículo regular do colégio. Sua carga horária constituirá parte da proposta do Integral Opcional, cumprida no contraperíodo. “A carga horária, de seis aulas semanais, será distribuída em dois dias da semana com três aulas cada dia em horário fixo, com dias variados para os diferentes anos, para adequação da logística escolar”, completa o diretor.

Lorenço Jungklaus  enfatiza que as crianças aprendem por associação e não por memorização das estruturas linguísticas, tornando-se falantes do idioma. “O estudo de conteúdos complementares ao currículo regular  enriquece o repertório acadêmico e cultural dos alunos, constituindo um diferencial para a futura escolha da profissão”, finaliza o diretor.

Educação Financeira – Vivendo e Aprendendo

Educar financeiramente uma criança é capacitá-la a fazer o melhor uso do dinheiro e para isso é necessário muito treino. O Colégio Vivendo e Aprendendo mantém o Projeto Supermercado, que surgiu para que as crianças entendessem, por meio da prática, o real significado do dinheiro, já que esse se faz importante no universo e cotidiano dos alunos.

Renata Bueno Alves, diretora do Colégio, diz que no projeto as crianças dos quartos anos arrecadam em casa, com a família, ou confeccionam objetos para vender aos alunos das outras séries. “A ideia de montar o Projeto Supermercado surgiu após uma reunião realizada com toda equipe pedagógica, que apontou certa dificuldade que os alunos estavam enfrentando ao comprar na cantina, eles tinham muitas dúvidas quanto ao valor real e como calcular o troco. “Quando percebemos essa deficiência, desenvolvemos o projeto, onde os alunos montam um supermercado com doações e mercadorias que trazem de casa. Os alunos das outros anos participam comprando e trabalhando com o dinheiro na prática. Eles praticam vários hábitos saudáveis e como cidadãos entendem a importância da honestidade, da doação e desapego material”, enfatiza a diretora.

Dentro do projeto os alunos comercializam bolos, tortas, docinhos e sucos, além de serviços como o salão de beleza. “A escola fornece o dinheiro fictício e os alunos responsáveis pela venda precisam receber o valor correto e pensar no troco, praticando assim o conhecimento financeiro e a cidadania”, explica Renata.

A diretora também conta que todas as séries participam diretamente, mas o projeto é organizado e realizado pelos quartos anos, do Ensino Fundamental I. “Além de toda a parte humana, as atividades com números envolvem reconhecimento pelos alunos e assim agregam conhecimento no seu dia a dia”, comenta.

O Colégio Vivendo e Aprendendo sempre incentiva o bom uso do dinheiro. “Acreditamos que é muito importante exerccitar desde pequeno o uso do dinheiro e evitar que a criança chegue a fase adulta cometendo os mesmos erros da infância, porque não aprendeu a lidar com limites e consequências de suas escolhas”, completa Renata.

Novos tempos – Shalom

O século XXI trouxe novos desafios. Hoje o cidadão deve ser capaz de compreender, questionar e reinventar o mundo ao seu redor. Para isto, novas habilidades são imprescindíveis como liderança, letramento digital, comunicação, inteligência emocional, empreendedorismo, resolutividade, cidadania global, colaboratividade, entre outras.

Dentro dos desafios do século XXI e das novas competências da Base Nacional Comum Curricular, o Colégio Shalom vem reformulando o seu currículo para atender a nova geração.

Uma das habilidades, cidadania global, necessita de comunicação verbal, e para isto, o Colégio desenvolveu o novo currículo da língua inglesa. São cinco aulas semanais com material da Pearson, maior empresa de educação do mundo. “Em 2018 terá início a plataforma de robótica em parceria com Via Marker, que ajudará o letramento digital, empreendedorismo, resolutividade e colaboratividade”, explica Edson Couto, diretor do Colégio Shalom.

“Houve também a restruturação do material didático, realizada em 2017, pelo Sistema de Ensino Dom Bosco by Pearson, para atender a nova LDB”, acrescenta Edson.

O diretor conta que frente a nova realidade, a escola sentiu a necessidade de aperfeiçoar e se adequar com foco no aluno e na infraestrutura. “Criamos novos espaços como Espaço Le Parkour, (Arte do Deslocamento) com o propósito de desenvolver nos alunos meios para que tenham um raciocínio psicomotor rápido, lúdico e criativo”, elenca.

“Um fator determinante para superar esses desafios é o Programa de Excelência do Dom Bosco – Pearson, que tem como um dos oito pilares a Gestão Pedagógica que desenvolve a formação continuada do corpo docente”, conclui Edson.

Projetos – Renovatus

Sabe o que é o Movimento Maker? O movimento surgiu do termo “DIY” (Do It Yourself) denominado “Faça você mesmo”. Essa cultura instiga pessoas a criar, modificar e melhorar objetos ou tecnologias já existentes e está chegando nas escolas brasileiras.

O Colégio Renovatus pensando no protagonismo como um valor fundamental às práticas educativas adotou, em parceria com a empresa Little Maker, projetos relacionados a esse movimento. “Sempre trabalhamos com a ideia de que o conhecimento não está pronto, ele se constrói por meio de projetos. Isto significa que cada dia inúmeras possibilidades de novas descobertas se abrem  e que  somos desafiados como educadores a construir nossas práticas pedagógicas, por intermédio de propostas diversificadas, mas sempre colocando o aluno como centro do processo”, revela Alessandra Cardelli, gestadora educacional.

A ideia é transformar a escola em um espaço de aprendizagem, onde imaginar, conectar, errar e construir faz parte do cotidiano dos alunos. “Acreditamos que desta forma tornamos o aprendizado mais significativo para os alunos, valorizando a prática e a experimentação”, diz a gestora.

A medotologia Little Maker promove de forma lúdica treinamentos que formam pessoas de atitude, que acreditam, planejam e persistem para conquistar. O método dos cursos é centrado na condução do processo de criação de forma organizada e com estratégia, com dinâmica adequada a cada fase das crianças e dos jovens.”Com isso desencadeamos o processo que envolve criatividade com estratégia, trazendo o conceito de protagonismo, mostrando que o aluno é capaz de realizar, de concluir um projeto se houver um metodo que guie durante o processo e se auxilia na superação dos erros e dificuldades no caminho”, explica Alessandra.

“O objetivo das atividades é envolver trabalho coletivo, estimular criatividade e desenvolver empatia, além de obedecer princípios que estimulam a autonomia e o potencial inventivo, colocando o aluno no centro de seu processo de aprendizado. Acreditamos que para garantir o aprendizado se deve olhar para todo o processo”, conclui a gestadora educacional.

Enem – Asther

O Ensino Médio é um desafio para qualquer adolescente: a infância que se distancia, a idade adulta que começa a se configurar e o aprofundamento na vida acadêmica, que se impõe, são etapas pelas quais todo jovem tem de passar para se preparar para a vida universitária.

Pensando nisso, o Colégio Asther adota o Sistema de Ensino Bernoulli, que vai muito além de fornecer soluções didáticas. “O sistema de ensino adotado pelo Colégio apresenta recursos de fácil aplicação pelo professor e assimilação pelo aluno, tornando o aprendizado muito mais efetivo. Conta também com ferramentas educacionais inovadoras que estimulam o estudante e contribuem para a melhor fixação dos conteúdos”, explica Valéria Dellafina, coordenadora pedagógica.

Com simulados desde a primeira série do Ensino Médio, o aluno pratica uma experiência similar à do ENEM. “As questões são elaboradas pelos professores do Grupo Bernoulli no mesmo formato do ENEM. O tempo de realização, a divisão das provas e o número de questões por área de conhecimento também seguem o mesmo padrão do exame oficial, além da correção TRI, nos moldes do INEP”, diz a coordenadora.

“O material capacita os alunos a identificarem os principais temas exigidos nos exames de ingresso nas melhores universidades. Além do excelente material, o Colégio Asther tem atividades que levam os alunos a terem uma visão crítica do mundo que os cerca, como trabalhos interdisciplinares e aulas Masther sobre atualidades, gincanas do conhecimento, visitas às universidades nacionais de porte, imersão em tecnologia a partir da plataforma Google for Education, incentivo ao ingresso em universidades internacionais renomadas” completa Valéria.