Compaixão e Gratidão

É incrível como a vida esconde lições onde a gente menos espera. Desde que comecei com a missão de ajudar o próximo, encontro histórias emocionantes de superação e sou surpreendido pela força e pelas boas ações das pessoas. Ás vezes precisamos de uma sacudida no nosso cotidiano para compreender o quão a vida é valiosa.

Foi assim com a história da Josiene. Eu cheguei nela por acaso. Fui realizar o sonho de sua cunhada, a Ana Paula. Ela queria uma ajuda para começar o próprio negócio: fazer unhas em casa, dessa forma ela poderia passar mais tempo com a filha. No meio da nossa conversa ela me contou sobre a história da cunhada. Uma jovem bonita, saudável, que depois de um acidente de trânsito passou a viver acamada com as sequelas.

Por si só a tragédia da Josiene já é um lembrete de como a nossa vida é frágil. Mas não foi só isso que me comoveu. Foi a conversa que tive com a mãe dela. Ela me disse, com os olhos cheios de amor, os ombros baixos do peso de ver a filha presa a uma cama, que não deseja ver ninguém naquela situação e que as pessoas deveriam tomar cuidado. Mesmo com o coração cheio de dor pela filha, ela pensou nos outros. Preocupou-se em lançar um alerta, lembrou que somos mais do que apenas nós mesmos.

Em situações como essa, a compaixão e a gratidão são os únicos sentimentos que podem nos manter em pé. Compaixão para perceber a dor – e também a alegria – dos outros, e gratidão pelo que a vida oferece de bom. São essas lições, mais do que tudo, que temos que aproveitar. São nessas pessoas que temos que buscar inspiração. Pessoas capazes de ver por meio do sofrimento, que superam a tristeza com muita compaixão e gratidão. Essa capacidade não podemos perder.