Wood-Aged Beer

processo de envelhecer cerveja em barris de madeira não é novo e durante séculos usaram esse método, até a evolução de equipamentos como o inox. Na década de 1970 com as pesquisas sobre cerveja se redescobriu esse método que traz complexidade e qualidade ao nosso liquido sagrado.

Na edição de agosto da Revista Prado, vamos falar um pouco sobre as Wood-Aged Beer ou cervejas que são envelhecidas em madeira com ou sem caráter de álcool, trazendo para a bebida características únicas.

Diversas madeiras são utilizadas nesse processo de envelhecimento como o carvalho francês, carvalho americano, amburana, entre outros. Madeiras que envelheceram outros tipos de bebidas são bem-vindas como uísque, vinhos, cachaças, grappa, bourbon, porque agregam ainda mais sabor à cerveja.

Usa-se uma receita base, normalmente cervejas escuras, alcoólicas e com potencial de guarda e bebida deve ser equilibrada e o estilo base aparente, a madeira deve aparecer, mas não sobrepor a base. A intensidade da madeira varia de acordo com o período de acondicionamento dentro do barril e seu uso prévio. Madeiras verdes trazem nuances de pão tostado, caramelo, baunilha, amêndoas. Já os barris que maturaram outras bebidas anteriormente trazem, além das características das madeiras, a característica da bebida e seus álcoois. Também são aceitos no estilo Wood-Aged Beer adição de chocolate, baunilha, frutas secas, blueberry e café.

Hoje falamos da Brewfist Spaghetti Western Grappa Barrel, uma Imperial Stout com 8,7% de teor alcoólico, maturada em barris que anteriormente maturaram a grappa italiana. Em sua composição também vai café, fava de cacau e diferentes maltes para ganhar corpo. A madeira é presente, liquido licoroso e é possível sentir frutas passas e a presença vinícolas da casca da uva usada na fabricação da grappa. Ótima pedida para o frio, uma cerveja que aquece a alma. Saúde!