Uma noite dessas

A atriz Deborah Secco escolheu Campinas para comemorar 30 anos de carreira com a estreia nacional do monólogo “Uma Noite Dessas”.  No espetáculo, Deborah interpreta uma atriz decidindo se fará ou não uma peça sobre uma equipe preparando um musical. O texto tem um humor inteligente e não tão óbvio, que trata de temas atuais como mulheres, feminismo e minorias. Em turnê por Campinas e região, entre um ensaio e outro, a atriz conversou com a Revista Prado e contou um pouco sobre sua carreira.

Revista Prado – É a primeira vez que se apresenta em Campinas?

Deborah Secco – Já fiz algumas apresentações na cidade, mas é a primeira vez que estreio nacionalmente em Campinas.

RP – Como decidiu encarar o desafio de produzir e estrelar um monólogo?

Deborah – Eu procurava fazer algo que me tirasse da zona de conforto, algo desafiador. É um texto difícil e diferente. É uma nova forma de fazer teatro, me faz pensar, estudar muito. Foi um acerto e está sendo delicioso fazer.

RP – Qual é a principal dificuldade em apresentar um monólogo? Como foi se preparar para viver mais de 30 diferentes personagens?

Deborah – Enfrento muitas dificuldades. Uma delas é o fato de estar sozinha no palco, de não ter com quem dividir a responsabilidade. Mas estar no palco é sempre muito bom e gratificante. Estava na hora de fazer algo artisticamente difícil para mim.

RP – O texto procura fazer alguma reflexão?

Deborah – O texto traz uma reflexão sobre as escolhas do que queremos viver. Vivemos muitas coisas decidindo se queremos ou não vivê-las. A questão da mulher também é muito forte, são temas atuais e ao mesmo tempo traz mulheres antigas fazendo um contraponto. Mais do que tudo é uma homenagem ao universo feminino.

RP – A Deborah com 10 anos de carreira aceitaria este desafio? Ou você acredita que só tenha aceitado por conta da experiência com atuação?

Deborah – Com 10 anos de carreira não faria de jeito nenhum. Talvez nem no ano passado eu fizesse. O monólogo é um resumo do meu amadurecimento profissional e pessoal, é a vontade de subir mais um degrau e fazer coisas diferentes.