Nepal: sensações e aventura na terra do Buda

Falar sobre o Nepal é falar de história, religiosidade, contemplação, sensações, paisagens, montanhas, aventura e o seu povo de fé, muita fé. Situado na parte central da Ásia, na Cordilheira do Himalaia, o Nepal abriga oito das 14 montanhas com mais de 8.000 metros de altitude do mundo, entre elas o Monte Everest. Tem em torno de 30 milhões de habitantes, onde oitenta por cento da população é hinduísta, porém há traços muito fortes do budismo, Sidarta Gautama, o Buda, nasceu em Lumbini, no Nepal. É possível encontrar templos das duas religiões situados no mesmo local, onde as pessoas se respeitam e convivem pacificamente. A capital é a fervilhante e caótica Kathmandu, com seu rico patrimônio arquitetônico.

Em Kathmandu, além da parte antiga, vale conhecer o bairro mais animado e agitado da cidade, o Thamel, onde se encontra restaurantes, hotéis, bares, baladas e milhares de lojas. Swayambhunath, também conhecido como Templo do Macacos, é um dos lugares mais sagrados do país, localizado no alto de uma colina os templos budistas são predominantes, porém há os hinduístas também. Com uma vista linda de Kathmandu.

Pashupatinath, templo hindu dedicado ao deus Shiva, é patrimônio da humanidade e um dos mais antigos templos no Nepal.

Um dos maiores e mais significativos monumentos budistas no mundo está em Boudhanath. É possível ver o “kora”, pessoas e monges andando em torno do monumento/estupa, em sentido horário, rezando.

Outro local imperdível é Bhaktapur, a capital cultural do Nepal, a história da cidade vem desde o século VIII. Composta por quatro praças, Durbar, Taumadhi, Alfareria e Dattatraya, é um verdadeiro museu a céu aberto. Foi muito atingida pelo terremoto de 2015 e uma parte está em reconstrução. E Patan, conhecida pela sua rica tradição em artes e artesanato, além de dezenas de templos budistas e hindus e mais de 1.200 monumentos.
Para quem gosta de aventuras, o trekking dentro da área de conservação do Annapurna, uma cadeia de montanhas no Himalaia, é uma boa opção. Para realizar o trekking é preciso ir de Kathmandu até Pokhara, uma cidade linda e que também vale a pena ser visitada. Outras opções mais radicais são para o Campo Base do Annapurna e também o Campo Base do Everest.

Tendo o Himalaia como seu cartão de visitas, o Nepal vai além das suas montanhas. O seu sincretismo religioso, etnias, castas, cultura e história, é uma mistura fantástica para quem chega ao país em busca de experiências novas e inusitadas.