Campinas comemora 243 anos

A cidade surgiu de um caminho para as minas de ouro, virou uma metrópole com mais de 1 milhão de habitantes que produz talentos em diferentes áreas do conhecimento

Campinas surgiu na primeira metade do século XVIII como um bairro rural da Vila de Jundiaí. O povoamento teve início com a instalação de um pouso para tropeiros – o pouso das “Campinas do Mato Grosso” (erguido em meio a pequenos descampados ou “campinhos”, em uma região de mata fechada) – que seguiam para as minas de ouro, o que impulsionou o desenvolvimento da região. O bairro rural do Mato Grosso se transformou então em Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso em 1774.
Depois, em Vila de São Carlos em 1797. E por fim, em cidade de Campinas no ano de 1842, período no qual o café já dominava a paisagem. Na segunda metade do século XVIII, o município experimentou a modernização. Mas, com a crise da economia cafeeira, a partir de 1930, a cidade foi se transformando em um centro industrial e de serviços. A partir disso, passou a concentrar uma população maior, já que muitos vinham atraídos pelas novas oportunidades. De maneira especial, entre as décadas de 1970/1980, os fluxos migratórios levaram a população a praticamente duplicar de tamanho.

No dia 14 de julho de 1774, em uma capela provisória, foi celebrada a primeira missa por Frei Antonio de Pádua, primeiro vigário da nova paróquia e assim oficializada a fundação da Freguesia Nossa Senhora da Conceição das Campinas de Mato Grosso. A data foi oficializada como fundação de Campinas.

Completando 243 anos, o município é considerado o maior polo da América Latina no setor de tecnologia, abriga diversas empresas de DataCenter, excelentes instituições de ensino superior, como a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e parques tecnológicos. Tem uma excelente localização geográfica e uma malha viária interligada por cinco das grandes rodovias do Estado de São Paulo: Anhanguera, Bandeirantes, Dom Pedro I, Adhemar de Barros e Santos Dumont. É também considerada um dos principais polos gastronômicos do país, oferecendo ótimas opções de restaurantes. Além disso, o município tem inúmeros pontos turísticos que oferecem opções de lazer gratuito.

Bosque dos Jequitibás: Ideal para passear com a família, oferece minizoo com diversas espécies da fauna, aquário, museu de répteis e animais empalhados, teatro, quiosques e parque infantil.

Parque Ecológico: O local abriga espécies da flora brasileira, da região da baía do Rio Piracicaba, além de espécies exóticas e palmeiras.

Lagoa do Taquaral: É um dos espaços mais importantes da cidade, contornado por uma ciclovia e uma pista de corrida, o local oferece planetário, passeio de bonde, pedalinhos, viveiro de pássaros, espaços destinados a piqueniques e uma réplica exata da caravela trazida por Pedro Álvares Cabral às terras brasileiras.

Parque das Águas – Quiosques para piquenique, pista de caminhada, playground para as crianças, lago com plantação de flor, aparelhos de ginástica para a terceira idade e animais soltos como: peru, pato, marreco, pavão, galinha e coelho, compõe o parque.

Torre do Castelo: Do alto do reservatório de água com 27 metros de altura é possível ter uma visão aérea da cidade e avistar os municípios vizinhos como Valinhos, Hortolândia, Sumaré e Paulínia. O prédio abriga parte do acervo do museu da Sanasa com peças antigas utilizadas no início do abastecimento público da cidade.

Catedral Metropolitana N. Sra. Da Conceição – Construída em taipa entre 1807 e 1883, tem requintados entalhes em cedro vermelho. Dentro da igreja há um Museu de Arte Sacra e guarda imagens dos séculos XVII ao XX.

Estação Ferroviária: Restaurada e transformada, a antiga estação funciona como Estação Cultura, um centro de entretenimento e cultura que representa um dos símbolos da cidade.

Feira Hippie: A praça do Centro de Convivência recebe aos sábados e domingos expositores com barracas de roupas, bijuterias e artesanato. Ainda há uma ala com antiguidades e praça de alimentação.

Mercado Municipal – Conhecido como Mercadão, é um dos simbolos mais conhecidos de Campinas. O local conta com restaurantes, açougues, peixarias, padarias, armazéns e frutarias. É um um ótimo lugar para encontrar produtos variados com preços promocionais.

Maria Fumaça – Com locomotivas bem conservadas é possível fazer o percurso de 24 quilômetros que passa por fazendas centenárias de café até a cidade de Jaguariúna.

Observatório de Capricórnio – localizado no distrito de Joaquim Egídio, os telescópios focalizam planetas como Júpiter e Marte, a lua terrestre e outros pontos do sistema solar. A observação é acompanhada por astrônomos, que explicam tudo sobre os astros.

Lago do Café – um dos mais importantes espaços de lazer de Campinas, sua área é remanescente da antiga sesmaria do Sr. Francisco Barreto Leme, fundador oficial da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso em 1774, origem da cidade. Esta área foi produtora e fornecedora de milho, feijão, cana-de-açúcar e aguardente aos tropeiros que seguiam pela Estrada dos Goiáses rumo as minas de ouro de Goiás e de Mato Grosso.