Viaje no mundo da leitura

A leitura ajuda aumentar o conhecimento, aprimora o vocabulário e auxilia na construção de textos

É comum ouvir algumas pessoas dizerem que não tem tempo ou paciência para ler um livro, no entanto, é tudo uma questão de hábito, de transformar a leitura em prazer. Além dos livros didáticos, previstos em diversas etapas dos estudos, é importante buscar outras obras de interesse, independentes do conteúdo.

Para Alessandra Cardelli, gestora educacional do Colégio Renovatus, a tecnologia ampliou as oportunidades de leitura entre crianças e jovens, porém é necessário incentivar as crianças lerem mais livros. “Ao ler livros ampliamos nosso vocabulário, nossa visão de mundo e acima de tudo aprendemos a refletir e entender as entrelinhas dos textos. É por meio da leitura que a criança e o jovem desenvolve a criatividade, a imaginação, adquire cultura e aprimora suas formas de comunicação e linguagem, aumentando seu repertório cultural e linguístico”, diz.

O hábito da leitura deve ser estimulado ainda na infância para que se aprenda desde
pequeno que ler é importante e, acima de tudo, prazeroso. Uma leitura realizada com prazer desenvolve a imaginação, a escuta atenta e a linguagem das crianças. “O hábito da leitura deve começar desde muito cedo, com os pais lendo histórias para os filhos ainda pequenos. Dessa forma, incentivamos as crianças desde cedo para a leitura, aguça a curiosidade facilitando o processo de alfabetização. Ela aprende melhor, pronuncia melhor as palavras e se comunica melhor de forma geral”, destaca a gestora.

Seja por prazer, para estudar ou para se informar, ler aprimora o vocabulário e dinamiza o raciocínio e a interpretação. “Aqui na nossa escola desenvolvemos vários trabalhos envolvendo leitura e interpretação. Temos uma lista de livros obrigatórios

que vão de quatro a nove volumes anuais, dependendo da série. Esses livros são importantes para trabalhar ferramentas de interpretação e de leitura mais complexa dos textos. A ideia é que o aluno tenha acesso a obras com níveis de exigência cada vez maior. Outra proposta é nossa biblioteca de classe, com os alunos do Fundamental I, em que o objetivo é fazer circular a maior diversidade de livros, estimulando a troca e a comunicação entre os alunos. E o terceiro eixo de nosso trabalho é desenvolvido na biblioteca da escola. Lá os alunos são instigados a curiosidade para que conheçam novas realidades, culturas e compartilhem suas experiências de leitura”, explica Alessandra.

“Deixe livros ao alcance das crianças, para que elas possam folhear e inventar histórias, separe pelo menos 20 minutos por dia para leitura, dê o exemplo lendo perto e junto dos pequenos, frequente livrarias e bibliotecas, dê livros, gibis ou revistas de presente, empreste livros para os amiguinhos do seu filho, estimule a troca, as conversas e atividades que usem a leitura, como jogos, receitas ou mapas”, indica Alessandra, sobre como criar o hábito da leitura.