O mercado PET

Segundo dados do IBGE, o Brasil tem 132,4 milhões de animais de estimação e é um dos principais países do mercado pet mundial

Os brasileiros gastam mais de 15 bilhões de reais por ano com produtos e serviços para animais de estimação, segundo dados divulgados pela Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação). A associação aponta que as projeções mais recentes de mercado têm base nas informações coletadas de janeiro a setembro de 2016 e para este ano, o mercado pet nacional deve chegar a R$ 19 bilhões em faturamento, crescimento de 5,7% em relação ao ano passado, quando fechou o ano em R$ 18 bilhões.

Medicamento manipulado

Remédio em formato de biscoito com sabor e aroma que atraem o animal, ou em pasta para ser lambido pelos gatos, é a aposta das farmácias de manipulação. Segundo Lilian Thomazini, farmacêutica da Pharma Aroma, o medicamento manipulado permite personalizar o remédio para os pets. “Com a manipulação é possível fazer a medicação na dose e quantidade exata, conforme a prescrição do veterinário, o que ajuda na e ciência do resultado do tratamento e na economia para o dono”, explica.

O Pet food é o principal segmento da indústria nacional em faturamento, respondendo a 67,6% do total, e totalizando estimadas 2,59 milhões de toneladas produzidas neste ano. Em seguida vem o Pet Serv (serviços), com 16,4%; Pet Care (equipamentos, acessórios, produtos de higiene e beleza animal), com 8,2% e Pet Vet (medicamentos veterinários), com 7,8% do faturamento total do mercado.

Em Campinas, o mercado Pet também cresce e cada vez mais oferece serviços e produtos diferenciados para os animais de estimação.

Lilian ainda conta que é possível fazer os remédios em formato de biscoito, por exemplo, com sabor e aromas que seja atrativo para o bichinho, facilitando a ingestão. “Fazemos medicação em formato de biscoito e com aroma de carne ou em pasta para os gatos lamberem, isso facilita a ingestão do animal, são mais fáceis de administrar e é possível usar a dose exata recomendada pelo veterinário, de acordo com o peso do animal, garantindo um tratamento mais eficaz”, completa a farmacêutica.

Na contramão da crise o mercado PET é uma opção vantajosa de investimento, o serviço especializado e infraestrutura completa de franquia atraem futuros empreendedores, investidores e apaixonados por animais de estimação.

Com o crescimento do setor acima da média do varejo nacional, investir em um negócio próprio pode ser a solução perfeita para quem quer transformar o amor pelos bichos em fonte de renda. Para tornar esse sonho realidade, a rede de franquias 100 PET, afiliada à Associação Brasileira de Franchising (ABF), possui infraestrutura completa: suporte desde a implantação do estabelecimento, marketing contínuo e arquitetura diferenciada são algumas das vantagens presentes na parceria com o grupo.

Segundo o diretor de franchising Ricardo Matos, a relação entre os donos e seus pets mudou e o segmento acompanhou esse avanço. “Os pets saíram do quintal para a cama e agora ocupam lugar de destaque na família. Com isso, os cuidados com a saúde, beleza e bem-estar dos animais impulsionam o mercado”, afirma.

Inaugurada em 2013, a primeira loja da marca tem base em Campinas, em quatro cidades do estado de São Paulo e em outros dois estados. Ao todo, são dez lojas distribuídas entre as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

A 100% PET é uma rede diferenciada no mercado com uma variedade de produtos, centro estético para banho e tosa e atendimento veterinário.

RESORT PARA CÃES

Localizado em Monte Mor, em uma área de 4.200 m², a Sede Dog foi construída para receber cães para hospedagem, no day care, na creche, no adestramento ou como residência.

Os sócios Maria Regiane Pinto e Aniceto Pinheiro, idealizadores do espaço, contam que o local segue tendências internacionais e oferece diversos serviços para cachorros de pequeno, médio e grande porte. “A Sede Dog foi pensada para que os cães tenham espaço, quem soltos e a vontade, além das atividades voltadas para o mundo canino. A infraestrutura conta com dormitórios amplos e muita área verde, acompanhamento dos cães por monitores treinados, total segurança e conforto para o cão. Tudo isto com muito carinho e atenção”, ressalta Maria Regiane.

Aniceto Pinheiro conta que para estruturar o resort foram anos de estudos e diversos cursos no exterior. “Estudamos muito, frequentamos as melhores escolas de adestramento e colocamos todo nosso aprendizado e experiência a serviço da grande diversidade de cães. Aqui eles são tratados com muito respeito, entendendo que cada um tem uma personalidade própria e merece atenção diferenciada”, comenta o sócio do local.

A Sede Dog oferece instalações separadas por porte e profissionais que entendem as necessidades de cara raça. “Aqui os cães são envolvidos nas atividades dos outros animais do mesmo porte e tomamos todos os cuidados para que ele se socialize, se divirta e sinta o mínimo possível que está fora de casa”, acrescenta Maria Regiane.

O resort também oferece adestramento em família, que melhora a integração do cão na família e na sociedade, e oferece a moradia permanente. “Aqui o adestramento é feito com a interação da família e animais. E quando a família muda para um local onde o cão não pode ser acomodado, o resort oferece moradia permanente e seus tutores podem visitá- lo quando quiser, levá-lo para passear ou interagir no nosso espaço”, sinaliza os sócios.

FAZENDO O BEM

Quatro amigas inconformadas com o descaso e abandono dos animais de Campinas se reuniram para defender os animais de rua e a ideia de criar um projeto mais sério e comprometido com o bem-estar animal tomou forma. Desde 2013 a associação Focinho Abandonado, acolhe, trata e encaminha para adoção animais abandonados ou que sofrem maus tratos. “A associação não possui espaço físico e todos os custos são arcados por nós, com as doações de pessoas físicas que acreditam no nosso trabalho e com a venda de produtos como camiseta, pulseira, chinelo, entre outros”, conta Renata Negrão, uma das idealizadoras do projeto.

Renata conta que a associação tem um custo mensal de 20 mil reais e toda a ajuda é bem-vinda. “Quem quiser ajudar o Focinho Abandonado pode doar qualquer quantia em dinheiro pelo nosso site (www.focinhoabandonado.com.br), ou com doação de ração tipo premium, medicamentos ou sendo um lar temporário para os animais”, completa Renata.

“O trabalho do Focinho Abandonado é resgatar animais, dar todo apoio veterinário que precisam, os bichinhos são examinados, vermifugados, vacinados, castrados e quando já estão saudáveis, são encaminhados para adoção por meio das nossas redes sociais, feiras de adoção e lares temporários. Toda adoção é controlada com um termo de responsabilidade, um termo de castração e visitas periódicas”, explica a idealizadora do projeto.

FEIRA DE ADOÇÃO

Datas: 27 de maio, 20 de setembro, 29 de junho, 25 de novembro

Local: R. Dr. Emílio Ribas, 906 – Cambuí

Uma dica: Na hora de passear com seu pet em locais públicos, é muito importante ter bom senso e tomar cuidado para que o animal não fique muito agitado, não permita que ele faça bagunça em lojas e evite que ele faça suas necessidades nos corredores. Confira quais centros de compras permitem entrada de animais:

Shopping Iguatemi Campinas e Galleria Shopping: permitida a entrada de animais de estimação de pequeno porte, desde que conduzidos no colo ou em dispositivos de transporte apropriados.

Parque Dom Pedro Shopping: permite a entrada de animais de pequeno porte, com no máximo 35 centímetros. Eles devem ser transportados no colo ou coleira de guia curta. Outros tipos de animais e aves devem ser transportados em jaulas ou gaiolas.

Unimart: Pets são muito bem-vindos ao Unimart.

Campinas Shopping: não aceita animais, mas há um projeto em andamento que deve permitir a entrada de cães em breve.

Shopping Parque das Bandeiras: aceita animais de pequeno porte no colo ou em carrinhos pet.