Aos 95 anos, Iris Apfel é uma it-girl do mundo da moda

A designer de interiores Iris Apfel contraria todas as regras. Nascida em Nova York, em 1921, o pai era dono de uma empresa de produção de vidros e espelhos e a mãe, de origem russa, era dona de uma boutique de roupa. Iris estudou história da arte e aos 20 anos trabalhou como ‘copy girl’ numa revista de moda Women’s Wear Daily, foi assistente do ilustrador Robert Goodman e foi assistente da designer de interiores Elinor Johnson. Em 1948, ela se casou com Carl Apfel e criaram uma fábrica de tecidos. De 1950 a 1992, Iris trabalhou com diversos projetos de restauração, incluindo trabalhos para nove presidentes americanos: Truman, Eisehnhower, Kennedy, Johnson, Nixon, Ford, Carter, Reagan e Clinton.

Além do trabalho, o casal viajou ao redor do mundo, onde Iris começou a comprar peças de artesanatos locais. Quando esteve no Brasil, em 2013, ela revelou: “Adorei dois lugares no Brasil: o primeiro foi o Museu Afro Brasil. Adorei saber que tem um lugar que mostra como a cultura africana colaborou com o país. Há peças belíssimas e eu aconselho todo mundo a ir lá. O segundo foi um lugar com grafites dos dois lados disse se referindo ao eco do Batman, na Vila Madalena, que parece um sanatório. Eu amei”.

Aos 95 anos, ela é uma it-girl, com direito a capa de revistas de moda, campanhas publicitárias para marcas de beleza, carros, calçados e joias. Também fez parcerias com magazine e empresas de óculos.

Entre 2005 e 2006, Iris foi tema da exposição ‘Rara Avis’, que aconteceu no Metropolitan Museum, em Nova York. Sobre isto, ela disse: “Quando o MET me chamou para criar a exposição pensei que iria ser fácil, eu só precisava colocar umas peças que gosto numa vitrine. Mas aí eles sugeriram de mostrar como usava cada acessório em diferentes épocas da minha vida. No final das contas, saíam uns três caminhões de roupas todos os dias da minha casa. Fora que havia várias cláusulas sobre ganhar uma exposição no MET, entre elas, era já ter morrido, mas como vocês podem perceber, essa foi eliminada”.

Em 2015, Iris virou tema de um documentário – que está disponível na Netflix, onde mostra sua rotina, ao lado do marido, Carl, poucos meses antes de sua morte, aos 100 anos. Era um casal apaixonado e engraçado. Vale assistir!