Tendências alimentares para 2017

A busca da promoção da saúde e prevenção de doenças por meio da alimentação cresce em ritmo acelerado, por isso vamos falar de alguns alimentos que soarão como novidade para muita gente.

Bebidas com superalimentos – Bebidas adicionadas com maca (fitoterápico peruano), açafrão (cúrcuma), vinagre de maçã, prebióticos, probióticos e aminoácidos, por exemplo,  tendem a crescer. São as bebidas funcionais, isto é, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta usual, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou benéficos à saúde.

Produtos derivados – Analistas preveem que os fabricantes irão criar novos alimentos a partir de produtos que normalmente são jogados fora, por exemplo o soro do leite que é extraído ao se fazer iogurtes ou queijos pode ser usado em  legumes lacto-fermentados ricos em  probióticos.

Coco em tudo – O óleo de coco já está servindo para produzir tortilha de coco e agora está surgindo na forma de sanduíches, petiscos e outros produtos que a maioria das pessoas nem imaginava. O coco é um dos alimentos mais nutritivos para a saúde. A fruta tem propriedades fortalecedoras do sistema imunológico, é rico em ácido láurico, componente com propriedades antimicrobiana e também tem baixa carga de carboidratos, o que pode ser bom para quem  está de mal com a balança.

Comida japonesa, além de sushi – dieta japonesa é reconhecida por proporcionar uma vida mais longa aos japoneses, mas ela vai muito além do sushi, sashimi. Teremos  a popularização de condimentos típicos da culinária japonesa, como ponzu, missô e óleo de gergelim. O missô é feito a partir da fermentação de arroz, cevada e soja, é rico em probióticos ao contrário da soja não fermentada. O óleo de gergelim, graças à presença de compostos com alto potencial antioxidante, pode trazer diversos benefícios à saúde.

Condimentos criativos – Com a expansão de diferentes cozinhas pelo mundo, as pessoas estão dispostas a provar novos temperos e isso inclui salsa de beterraba, geleia de pimenta habanero, tahini de gergelim preto e ghee (manteiga clarificada que é popular em alguns países da Ásia e Oriente Médio).

Repensando a massa – Além do macarrão sem glúten, feito de grão-de-bico, quinoa e lentilha, que estão se tornando populares, a nova tendência é o espaguete feito de abobrinha (zoodles). Enquanto uma xícara de massa cozida contém 221 calorias e 43 gramas de carboidratos, a mesma quantidade de zoodles contém 25 calorias e 4.6 gramas de carboidratos, o que é ótimo para pessoas com excesso de peso, além de possuir vitaminas adicionais, nutrientes e antioxidantes não encontrados em massas processadas.

Poder dos alimentos de cor púrpura – Receitas  com alimentos de cor purpura devem crescer em 2017, incluindo uvas roxas, berinjela, beterraba batata doce (a rosada), arroz negro e açaí. São ricas em  antioxidantes, fibras e vitamina B. As uvas são ricas  em flavonoides e resveratol, já a beterraba é fonte de óxido nítrico e pode ajudar na saúde do coração e na potência sexual.

Preparo consciente da refeição – O mais importante será ser consciente, evitando desperdício de alimentos, dessa forma vamos menos ao supermercado, além da  busca por alimentos  cada vez menos processados e  orgânicos.

Fonte: The Food Trends to Watch in 2017, According to Whole Foods