Interesses financeiros e manipulação da nossa saúde

Meus amigos, nossos  conceitos alimentares foram manipulados em função de interesses financeiros. O iogurte ficou sem gordura (light), o queijo branco (sem gordura), a carne magra (pouca gordura), a gema desprezada e o abacate (rico em gordura) virou vilão por causa de estudos financiados. Foi  divulgado no Jama Internal Medicine ,importante jornal da área médica, o que há muito já se especulava.

Documentos encontrados em arquivos públicos demonstraram que em 1964, um grupo conhecido como Associação do Açúcar começou a discutir uma campanha de forma a lidar com trabalhos da época que demonstraram a ligação entre o consumo açúcar e o aumento de doenças cardíacas, o que gerou certa “atitude negativa” da população em relação ao açúcar.

Pois bem, no ano seguinte, essa associação resolveu pagar o equivalente a 50.000 dólares a um grupo de pesquisadores de Harvard para que fizessem um artigo baseado em referências escolhidas pela própria associação.
O resultado? Um artigo concluindo que sem dúvidas a mudança alimentar necessária para diminuir riscos de doenças cardíacas era a diminuição no consumo do colesterol e gordura saturada, enquanto minimizaram o papel do açúcar nessas doenças.

Desde então, diversos órgãos incentivaram a mudança para uma dieta “low fat” e o que aconteceu foi um aumento exorbitante de doenças cardiovasculares, obesidade, câncer e diabetes como vemos nos dias atuais.

Entenderam agora o porquê a leitoa e os queijos amarelos gordos viraram os vilões do Natal?

Feliz 2017! Que esse ano seja cheio de boas notícias!